Artigos Destaque Opinião

Opinião – Um outro credo

”Creio que devemos excluir e banir, por incompatíveis com a natureza, com a índole e com a crença do nosso povo, as associações e partidos (…) com objetivos e programas a implantação do socialismo”

Tenho a nítida impressão de que se os patriotas não endurecerem suas posições em relação à guerra deflagrada contra a Nação Verde e Amarela logo depois da posse do governo que aí se encontra, em breve constatarão que terão perdido a grande oportunidade de resgatar o Brasil das mãos dos establishement aproveitador e corrupto. Estou convencido de que o Planalto e os governos estaduais legitimamente empossados, nos quais se encontram toda e qualquer nova liderança que o povão escolheu com objetivo de se livrar da tal abjeta classe política dominante que durante trinta anos nos roubou, sugou e escravizou, todos eles já estão sitiados e, em alguns casos emparedados pela vermelhada.

Vinda de todos os lados, colunas inimigas avançam, de maneira obstinada e perversa, sem liderança pessoal única, mas com igual propósito: voltar ao poder. Trata-se de uma escumalha sem origem, sem princípios e valores, capaz dos atos mais desprezíveis e ignóbeis e de se aliarem ao que de pior e de mais sujo possa existir aqui e no exterior, somente para voltar a colocar as mãos no dinheiro publico.

Estou frequentemente alertando nossa gente em relação àqueles patifes de sempre, identificando-os com rigor e vou continuar a fazê-lo incessantemente, mas sinto que isto não é o suficiente. Aquelas pessoas do mal ainda se encontram imunes ou bem defendidas atrás das entidades que criaram para dominar a Nação Brasileira e esses bunkers onde se homiziam ainda têm muito dinheiro. Dinheiro que ao longo das últimas décadas amealharam sangrando o erário e grande poder porque os seus esconderijos estão legalmente constituídos. Por isso mesmo é tão difícil atingir, por exemplo, um Mandarim da banda podre do STF ou um membro encarnado do “Mistério Público”. Aí está o motivo pelo qual é extremamente problemático colocar na cadeia todos que integram o lado negro do Congresso Nacional. Igualmente não é fácil abater de vez a vermelhada soez, a direita ladra e voraz e tantos quantos tramam e urdem contra nosso povão sofrido e escravizado.

O Brasil inteiro sabe quem eles são e bem conhece os crimes que foram capazes de praticar os integrantes das quadrilhas de malfeitores que dominaram o País de 1985 para esta parte (Haddad, Gleisi Hoffmann, Franklin Martins, Rui Falcão, Zé Dirceu, Alkmin, Aécio, Serra, Aloísio Nunes, Ciro, Marina, Boulos, Jandira Feghali, Freixo, Molon, etc.).   Conhece bem as ações e a cruéis trajetórias dos seus respectivos chefões e mentores – Sarney, Collor, FHC, Lula, Dilma, Temer. Tudo hoje é público e notório por causa das redes sociais, porém aqueles renomados malfeitores continuam impunes e livres para destruir a esperança que nasceu do último pleito eleitoral de 2018.

Esta sociedade de bons homens, por sua grande maioria, sabe de cor e salteado os nomes dos Barões da extrema imprensa e de seus execráveis cativos da “jornadalha” covarde, nefanda e nefasta que, diuturnamente, destila suas frustações, deformações e falta de caráter só porque suas mãos imundas foram retiradas dos cofres públicos. Tem deformador de opinião posando de imortal – ordinário de pai e mãe – que agride o novo governo, todo dia pelas páginas do “O Goebbels”, porque quer que se promova a pornografia e a pedofilia com verba pública. Têm outros do mesmo naipe que fustigam o Capitão e a sua família porque batalham para extirpar o narcotráfico e as OCRIM’s.

A rigor, são criminosos, são vendilhões da pátria, são verdadeiramente traidores do Brasil que, de per si, abrigam-se num código de defesa de bandidos ou de corruptos escrito por uma escumalha comunista com alcunha de socialistas, chamado de Constituição Federal de 1988. Estou consciente que é difícil abatê-los enquanto voam sobre a esperança desta Nação, ofuscando suas oportunidades como uma nuvem de malditos gafanhotos.

Se por acaso o verdadeiro Movimento Popular Revolucionário de 2018 – MPR 2018 – não tivesse sido tungado pela elite dominadora, como não ocorreu de fato com as grandes revoluções sociais dos países que se desenvolveram, e os mais de 4 milhões de brasileiros que foram para as ruas tivessem atingido seus nobres objetivos, certamente que hoje não estaríamos sofrendo tantos vexames e constrangimentos, inobstante os heroicos esforços do governo atual. São doídas e duras de engolir as decisões dos “Mandarins Solta Bandidos” ou cada pernada do Parlamento, sempre adotadas de soslaio na calada das noites de Brasília-DF.

É exatamente por causa disso que nos parece cada vez mais distante – para não dizer impossível – alcançar, por exemplo, o seguinte: a) a extinção e a criminalização do pagamento ou do recebimento das mordomias vigentes para os servidores públicos dos três poderes da República que represente um ganho maior que vinte salários mínimos (palácios e gabinetes suntuosos, secretárias, adjuntos, assessores, auxílios, adicionais e penduricalhos remunerativos, carros oficiais, motoristas, 14º e 15º salários etc; b) redução drástica do número de senadores, deputados federais, estaduais e seus respectivos feudos ou gabinetes; c) redução adequada do tamanho do Estado, extinguindo sociedades e entidades públicas e desaparelhando as que restarem; d) redução exemplar do número de vereadores e de suas remunerações; e) extinção do financiamento público de campanhas políticas obrigando os partidos a viverem de seus associados e os parlamentares a fazerem campanha com recursos próprios limitados a um determinado valor e muitas outras medidas de igual natureza.

Todavia, rogo que meu leitor não me interprete mal. Não estou pregando a desesperança. Não! Muito ao contrário! Estou convocando cada brasileiro do bem para travar esta luta, guardando no peito um novo credo patriótico. Creio que podemos ceifar as cabeças e mandar para o lixo da história os cinco Mandarins do Supremo Tribunal Federal – STF, que lutam para destruir a brava e tão sonhada “Operação Lavas Jato”. Creio que podemos julgar e condenar, em poucos meses apenas, todos os parlamentares e agentes públicos já envolvidos, apontados ou indiciados pela Justiça. Creio que devemos livrar nossa sociedade da influência perversa dos vermelhos que, direta ou indiretamente, tentaram destruir a família, a propriedade bem como os valores éticos e morais da nossa cultura judaico-cristã. Creio que podemos alcançar uma nova ordem econômica e financeira que privilegie quem trabalha e produz a ela subjugando a banca e seus famigerados banqueiros. Creio que podemos dizimar a corrupção, o crime organizado e os partidos socialistas que àqueles estão alinhados. Creio que devemos excluir e banir, por incompatíveis com a natureza, com a índole e com a crença do nosso povo, as associações e partidos que tenham como objetivos e programas a implantação do socialismo ou do comunismo laicista e antidemocrático. Creio nesta Nação livre e soberana, como uma terra cristã, capitalista, igualitária, rica e feliz onde quem a sirva na máquina governamental saiba que seu patrão é o povo. E nisto que havemos de crer e por essa causa digo que esta guerra já deflagrada ainda está longe de ter fim.

 

 

 

 

 

 

Por Jose Mauricio de Barcellos ex Consultor Jurídico da CPRM-MME é advogado. Email: bppconsultores@uol.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *