Análise Brasil Corrupção Destaque Entrevista Política Senado Federal STF Suprema Corte

”Vidro Blindado” – Senadora Selma Arruda segue inabalável

Ao contrário dos que muitos esperavam, a ex-juíza segue mais forte depois de uma constância de ”perseguições”, tanto nas esferas estaduais como federais

Em recente entrevista a ex-magistrada por Mato Grosso, fez apontamentos subliminares fortes sobre o cenário político nacional. E diante de sua persistência pelos motivos que a levaram a ingressar na vida política, a senadora ex-PSL-MT, agora do Podemos-MT, tem se fortalecido, ganho visibilidade positiva e consequentemente maior respeito pelos ”colegas”.

Selma apontou o ambiente espúrio do STF com ressalvas, como experiente juíza, onde poderíamos dizer que é uma mistura de ”Deus nos acuda” com ”cobra engolindo cobra”:

Há pelo menos dois ou três ministros do STF que eu diria ser muito provável que estejam envolvidos nessa corrente suja, mas eu sempre gosto de preservar as instituições, porque eu também já fui juíza e sei que a gente não pode jogar todo mundo na vala comum. Reconheço também que lá tem muita gente honesta, trabalhadora e que está passando vergonha alheia e não aguenta mais. A gente precisa vencer esse obstáculo de precisar de uma assinatura a mais. A gente instaura a CPI e depois vem o presidente do Senado e resolve colocar algum componente na comissão que vai abafar tudo.

Em um outro trecho da entrevista, questionada sobre uma hipótese do fim da prisão em segunda instância pelo STF, a senadora aponta sobre o risco da Operação Lava Jato corre de ter toda a sua estrutura investigativa e documental enterrada com uma ”pá de cal”, caso a suprema corte decida pela suspeição do juiz Sérgio Moro, o qual comandou toda a operação antes de se tornar atualmente ministro da Justiça:

Será um grande abalo, quase uma pá de cal. Mas pá de cal mesmo será julgar o ex-juiz Sergio Moro como suspeito.

 

 

 

Da Redação com informações da Isto É

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *