Category Archives: Infraestrutura

Assembleia Legislativa Infraestrutura

Riva intervém e governo garante asfalto à MT-338

Publicado por

O Vale do Arinos vai receber novos investimentos. Desta vez, a sonhada pavimentação asfáltica da MT-338, conhecida como ‘Estrada da Baiana’, uma das principais via de escoamento da produção da região noroeste de Mato Grosso, vai receber asfalto em 37 quilômetros, ainda neste ano, dos 160 km que faltam. A expectativa é que o restante seja asfaltado até 2013.A garantia foi dada pelo governador Silval Barbosa durante reunião intermediada pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado José Riva (PP). Realizada no Palácio Paiaguás nesta terça-feira (14), contou com as presenças dos prefeitos Alcir Paulino (Juara), Milton Geller (Tapurah), Vanderley Proenço (Itanhangá) e José Nilton (Novo Horizonte do Norte), além de produtores da região e do presidente do Consórcio Estrada da Baiana, Dirceu Oliveira dos Santos.

Uma luta antiga do deputado municipalista Riva, a iniciativa vai fomentar o desenvolvimento da região, por aproximar os municípios melhorando a qualidade de vida dos seus moradores, que no período chuvoso demoram até 10 horas para percorrer 150 quilômetros. Com o advento do asfalto esse percurso será muito mais rápido, barateando inclusive o frete dos produtos que aquecem a economia local: grãos, calcário, adubos, implementos agrícolas, sal mineral, bovinos, indústria moveleira e da madeira.

Além disso, essa rodovia é uma das mais antigas da região e a principal via que liga Cuiabá a Juara (700 km de distância), que poderão ser diminuídos em 100 km, já que atualmente, parte do percurso é feito pela BR-170. “É um sonho antigo da população que há 30 anos espera pelo asfalto. E mesmo expondo as dificuldades financeiras do estado, o governador garantiu a execução das obras”, disse Riva. A rodovia também vai reestruturar os municípios de Itanhangá e Tapurah com o aumento do fluxo de veículos nessa estrada.

As obras, que devem começar imediatamente, serão feitas por meio de parcerias do estado com produtores e prefeituras. São aproximadamente 160 km para serem asfaltados, o governo assegurou asfaltar 15 quilômetros interligando Novo Paraná a Tapurah e mais 22 quilômetros da comunidade Ana Terra até o Córrego Artur Borges, na divisa de Tapurah com Itanhangá.

O presidente do consórcio, Dirceu Santos, relatou as dificuldades enfrentadas e o trabalho de Riva pela consolidação dessa rodovia com a mobilização do setor produtivo e lideranças da região. E justifica que o objetivo é asfaltar totalmente a rodovia. “Riva sempre foi o elo de ligação do Vale do Arinos com o Governo, mostrando a importância de os produtores serem ouvidos . Os 37 quilômetros representam a redenção da nossa região, graças ao incansável trabalho do presidente Riva”, disse.

A contrapartida dos produtores é de 20% do total das obras. Para o prefeito de Juara, Alcir Paulino (PP), esse momento é histórico à região que clama por asfalto há muito tempo. “É uma ação fundamental à região que terá condições de atrair novos empreendimentos na região, fomentando a geração de emprego e renda”.

O prefeito Geller (PSDB) disse que a ação significa um grande avanço, “pois estamos aumentando nossa produção a cada dia, e precisamos de infraestrutura para transportes. Isso mostra o compromisso que o governo tem com a região, que é uma área muito importante para Mato Grosso”, afirmou.

Da mesma forma, o prefeito de Itanhangá, Vanderley Proenço (DEM), destacou o benefício que vai agregar à agricultura familiar, facilitando o escoamento da produção. “A partir de agora começa a ação do governo com os deputados para efetivar o sonho da população da região Noroeste”, comemorou.

Fonte:AL/MT

Economia Infraestrutura

Empresários chilenos apresentam novo empreendimento imobiliário

Publicado por

Empresários chilenos apresentaram, na manhã desta terça-feira (14.06), ao governador Silval Barbosa projeto de novo empreendimento imobiliário a ser construído em Cuiabá com mais 1.200 moradias – entre casas e apartamentos. As casas e apartamentos serão construídos em uma tecnologia nova – que acelera a produção, mas o mais importante, segundo os empresários é a qualidade de vida que esse empreendimento vai proporcionar.

Consorciado ao grupo Santa Laura, o grupo BC Genera, detentora da tecnologia em construção de grandes piscinas – inclusive a maior do mundo, reconhecida no livro do Guinness, no resort San Alfonso Del Mar, com cerca de 8 hectares de tamanho e 1 km de comprimento – inicia sua atuação no Brasil por Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

O novo empreendimento, segundo o diretor Edmur Migiori Jr, vai contar com uma piscina com 1,6 hectare de água tratada e 2 hectares de praia. Em torno dessa grande piscina é que vão ser construídas as moradias – casas e apartamentos – e esse diferencial é que vai proporcionar uma melhor qualidade de vida.

Os empresários chilenos estão vindo para o Brasil, a convite do deputado federal Júlio Campos, que conheceu o empresário Gastón Escala, presidente da Câmara do Comércio e Industrial do Chile, que o apresentou ao modelo de empreendimento, que agora chega a Mato Grosso.

Na visita ao governador os empresários demonstraram também a tecnologia de construção, sendo que a referência é a construção de um hospital que foi concluído em dois anos. O Governo fez o convite para investir na construção de um hospital por meio da parceria público privada. Participaram da visita os empresários René Pavez e Gastón Escala, da BC Genera.

Fonte:Secom/MT

Assembleia Legislativa Infraestrutura

VLT: estudos comprovam número reduzido de desapropriações

Publicado por

A escolha do meio de transporte público, que será implantado em Cuiabá, deverá ser anunciada em uma semana. Os estudos, em fase final, já comprovam que o número de desapropriações será “infinitamente” reduzido, conforme defendeu desde o início das discussões o presidente da Assembleia Legislativa, deputado José Riva (PP).

José Riva esteve reunido com técnicos especialistas nesse sistema, em São Paulo, junto com o Governo do Estado. Conforme o parlamentar, essa vantagem, em relação ao Bus Rapid Transit (BRT), que necessita de 1300 desapropriações, poderá ser um dos fatores decisivos à escolha. Inclusive, foi um dos motivos defendidos por ele para convencer o governador Silval Barbosa a conhecer o VLT.

“Foi um dos fatores determinantes para abrir o diálogo com o governo”, afirma Riva, ressaltando o ganho econômico e social desse modal. Segundo ele, a Avenida Prainha não necessitará de desapropriações, o que dará tranquilidade também ao Governo, que já enfrenta um movimento de comerciantes-locatários insatisfeitos com a possibilidade de perder o direito de permanecerem nos imóveis.

Contudo, Riva disse que ainda é preciso aguardar o fechamento dos estudos para comparar os valores, que considera uma questão muito complexa. Envolve tributação, importação de produtos e componentes que serão utilizados.

“Conhecemos todo o levantamento feito pelos técnicos, mostrando as desapropriações que precisarão ser feitas. E ficou muito bem caracterizado que para o VLT as desapropriações são, no mínimo, 80% menores que para o BRT. Também nos mostrou que é viável a construção do VLT em 24 meses. Acredito que dentro de uma semana esteja pronto e poderemos saber se é compatível com a realidade do estado”, destacou.

O fechando dos estudos engloba questões relativas ao Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI), Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), isenção de impostos para determinados produtos, dentre outros.

Mesmo assim, a implantação do VLT ganha força, segundo Riva, pela falta de planejamento de Cuiabá, que praticamente inviabiliza o BRT pelo excessivo número de desapropriações e outra série de desvantagens, como a poluição do meio ambiente e durabilidade da frota.

Riva garante que a preocupação não esbarra somente na escolha de um sistema que seja rápido para ser implantado. É preciso que seja útil após a Copa do Mundo de 2014, deixando um legado à população. E tenha condições de atrair a classe média. Ação que Riva comprovou na Cidade do Porto, em Portugal, onde vários estacionamentos foram construídos para dar apoio aos passageiros do VLT. “Houve redução drástica de veículos nas ruas em função das pessoas que passaram a deixar seus veículos em estacionamentos ou em casa”.

Questionado sobre as chances do VLT ser o modal escolhido, Riva lembrou que a pouco tempo atrás não havia nenhuma chance, até que assumiu o embate e comprovou ao Governo do Estado as inúmeras vantagens. Tanto que num patamar de zero a dez, Riva acredita que as chances do VLT ser escolhido é de oito.

Fonte:AL/MT